Controlar as ervas daninhas, é uma prática cultural necessária para garantir o bom crescimento e desenvolvimento das suas culturas agrícolas. Assim, aqui ficam algumas informações que deve saber sobre as ervas daninhas, assim como 4 soluções que pode adotar para combatê-las.

Como controlar ervas daninhas: dicas essenciais que deve saber

A definição de ervas daninhas

As ervas daninhas também conhecidas por plantas infestantes, definem-se como: plantas cujas virtudes ainda não foram descobertas; plantas “fora do local” e cuja sementeira não foi intencional; plantas que podem ser competitivas, persistentes, perniciosas e interferir negativamente com a atividade agrícola; entre outras definições. De uma forma geral, podemos definir as ervas daninhas como quaisquer plantas que, adaptadas ao habitat alterado pelo Homem, interferem negativamente com sua atividade.


As suas principais características

As ervas daninhas dispersam-se, na maioria dos casos, através da água, do vento ou pela aderência destas ao pêlo ou penas dos animais, progredindo naturalmente através da cadeia alimentar. Morfologicamente, as ervas daninhas caracterizam-se por conseguirem sobreviver em condições hostis e por esse motivo, torna-se assim mais propícia a sua proliferação. Assim, as principais características das ervas daninhas, além da resistência a uma ampla gama de condições edáfo-climáticas, são a sua capacidade de crescer e amadurecer rapidamente, assim como a capacidade de produzir um elevado número de sementes. Morfologicamente, estas podem caracterizar-se como: plantas infestantes de folha larga (como por exemplo as beldroegas) e plantas infestantes de folha estreita (como por exemplo a junça-Cyperus esculentus). Quanto à duração do seu ciclo de vida, as ervas daninhas podem classificar-se como anuais, bianuais e plurianuais. As primeiras germinam, desenvolvem-se, entram em floração e frutificam num período inferior a um ano. As segundas vivem mais de um ano e menos de 2, entrando em floração e produzindo semente apenas uma vez. Já as plurianuais, como o próprio nome indica, tem um ciclo de vida superior a dois anos.

4 soluções para combater as ervas daninhas  

Não existem dúvidas que, grande parte das ervas daninhas são desfavoráveis para as nossas culturas e para a nossa horta e jardim, sendo por essa razão primordial eliminá-las. Existem diversos métodos para as eliminar, partilhamos aqui 4 dessas soluções.


1. Sacha ou arranque manual

Uma das técnicas mais usadas para eliminar ervas daninhas é através da utilização de um sacho ou arrancando manualmente. Apesar deste método ser relativamente eficaz, é uma tarefa aborrecida, delicada e morosa, que sendo mal feita pode trazer algumas consequências nefastas para as suas culturas. Caso opte por eliminar as ervas daninhas manualmente, não se esqueça de usar luvas protetoras, de forma a proteger-se de qualquer “foco” de contaminação. Garanta que o arranque é feito desde a raiz e não apenas do caule, de forma a reduzir o foco de dispersão das mesmas.


2. “Mulching” ou cobertura vegetal

A cobertura vegetal é uma excelente técnica para evitar o crescimento de infestantes na sua horta. Esta consiste numa camada de matéria orgânica, estendida sobre o solo deixando a terra exposta apenas nos locais de sementeira. Além de conferir boas condições para o crescimento das plantas, este método suprime por completo o aparecimento das ervas daninhas. A cobertura vegetal pode ser aplicada utilizando matéria orgânica como a turfa, restos de relva cortada, a casca de pinheiro, aparas de madeira ou palha. A sua aplicação deve ser feita após a germinação.


3. Herbicidas caseiros
Utilizando produtos/substâncias que temos em casa podemos criar um herbicida perfeito para o combate das infestantes. Tendo em conta que o caminho é uma agricultura mais sustentável, as nossas recomendações passam por soluções naturais e não tóxicas para o meio-ambiente.

  • Água a ferver: com bastante cuidado, regue as ervas daninhas com água a ferver
    evitando ao máximo aplica-la sobre as suas culturas, pois acabarão por morrer.
  • Vinagre: este método é adequado para infestantes ainda jovens. Por não terem
    energia suficiente armazenada nas raízes para sobreviver, as ervas daninhas acabam
    por não voltar a desenvolver as suas folhas. Para esta “mézinha” junte uma chávena
    de vinagre de maçã a três litros de água e aplique sobre as ervas.
  • Farinha de milho: Uma espécie de cobertura vegetal, já que nas zonas onde
    espalhar a farinha, fica assegurado o controlo da germinação das infestantes.


4. Cama de cultivo, um ambiente controlado
Uma cama de cultivo é uma boa solução, não só para quem tem pouco espaço disponível, mas sobretudo porque podemos ter mais controlo sobre todos os factores que podem prejudicar a Horta, incluindo ervas daninhas. Um sistema de cultivo como o da Noocity, permite cultivar uma considerável variedade de alimentos num pequeno espaço, tornando mais fácil a tarefa de controlo e eliminação das infestantes. Além disso, ao fazermos uma rotação de culturas nesta área condicionada, conseguimos assegurar a saúde do solo e evitar o aparecimento de ervas daninhas, pragas doenças. Por garantir o fornecimento de água constante às plantas, a oxigenação das raízes e um controlo mais eficaz sobre a fertilização, a Horta da Noocity assegura uma produção de legumes, frutas e ervas aromáticas mais saudáveis.

Conheça o nosso Kit Horta em Casa!